FOME OBRIGA PAI SER CÚMPLICE NA VIOLAÇÃO SEXUAL DA FILHA

Gostaríamos de encontrar uma explicação clara que justicasse a atitude deste pai que decidiu em troca de 50 mil kwanzas, retirar a queixa-crime da sua filha que foi estuprada por seis jovens com idades compreendidas entre os 18 e 20 anos.

O ato macabro aconteceu no bairro Bakita Kossi no município do Kilamba Kiaxi, em Luanda, numa tarde de sábado em finais de Agosto quando a jovem de 18 anos interpelado pelo seu vizinho de 20 anos que o convenceu a ir a sua casa por alegadamente ter algo muito importante para lhe dizer, onde já tivera escondido os seus cinco amigos com quem arquitetou o crime.

Postos em casa, fez-lhe saber que os pais não estavam e que não havia mais ninguém em casa, por isso, pediu-lhe que ficasse a vontade. Aproveitando-se da ocasião de, supostamente estar sós, quando na verdade os seus amigos estavam escondidos num quarto, declarou-se para ela dizendo que a amava e que a queria namorar, ela por sua vez, fez ouvidos de mercador, ignorou as suas palavras e deixou claro que não tinha nenhum interesse em assumir qualquer compromisso amoroso com o filho do vizinho, que de seguida acionou o plano de estupro quando está tentou sair de casa.

Neste instante, foi agarrada e levada para um quarto pelos cinco amigos que abusaram dela durante duas horas, e no final obrigaram-na a nunca contar a ninguém o sucedido porque se não, fariam o pior, com ela e com a sua família.

A adolescente, inconformada com a situação precisou de uma semana para ganhar coragem para contar o sucedido aos seus pais, o pai com os nervos à flor da pele consultou alguns amigos e familiares e a seguir recorreu à esquadra mais próxima para apresentar uma queixa-crime sobre a sua filha que foi abusada sexualmente, isto, já no decorrer deste mês de setembro, na esquadra, os efetivos do SIC efetuaram diligências que culminou com a detenção de um dos cinco acusados e foram feito os testes que comprovam a violação e descartam a possibilidade dela estar grávida, o que deu uma lufada de ar fresco à família.

O pai da vítima confiante nos serviços do SIC destacados no bairro Bakita Kossi estava disposto a levar o caso às barras do tribunal enquanto os pais dos acusados, com receio de verem os filhos atrás das grades, solicitaram um encontro com o progenitor da vítima. “Nós já somos família e vivemos muito tempo aqui no bairro. Vimos os nossos filhos a crescerem praticamente juntos. Por tudo o que aconteceu com a tua e nossa filha, nós viemos te pedir perdão”, implora um dos vizinhos, na reunião.

“Em nome do meu filho, eu também quero pedir desculpas pelo sucedido e, por favor, retira a queixa contra os nossos filhos, uma vez que sempre vivemos como uma família aqui neste bairro”, disse o outro pai dos acusados. Já o pai da vítima limita-se a ouvir os vizinhos e, de seguida, pede tempo para reflectir sobre o assunto. Voltou a solicitar os conselhos à esposa, alguns familiares e amigos.

Passados dois dias, convocou uma reunião de resposta. “Chamei-vos para dizer que só vou retirar a queixa, se cada um de vocês pagar uma multa no valor de 50 mil kwanzas. Estou a pedir isso em consideração aos longos anos que temos, de convivência, aqui no bairro. Quem aparecer com o dinheiro na mão, retiro a queixa”, declarou o pai da vítima.

Por: Pumba Kibozo

0 0 votes
Avalia o Artigo
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os Comentários
0
Adoraríamos que Comentasses x
()
x
%d blogueiros gostam disto: