Lutador executado por enforcamento no Irão

O lutador iraniano Navid Afkari, de 27 anos, foi executado por enforcamento, depois de ter sido condenado à pena de morte pelo “homicídio voluntário” de um funcionário público em Chiraz, no sul do país, apunhalado a 2 de agosto de 2018. Como em muitas outras cidades do Irão, Chiraz teve naquele dia manifestações de hostilidade ao poder e de denúncia da situação económica e social do país. Foi neste contexto que terá ocorrido o alegado crime.

O Comité Olímpico Internacional (COI) manifestou-se chocado com a execução do lutador e, em comunicado, referiu que “é profundamente lamentável que os apelos de atletas de todo o mundo, do COI, do comité iraniano e da Federação Internacional de Luta não tenham sido ouvidos”. A organização humanitária Human Rights Watch e a FIFA também se uniram no apoio do lutador, preso em setembro de 2018 por dezenas de acusações, incluindo participação em manifestações ilegais, insultos ao líder supremo do Irão, roubo e homicídio. Também o presidente norte-americano Donald Trump tinha apelado aos dirigentes iranianos para que não avançasse com a sentença: “Apreciaria verdadeiramente que poupassem a vida deste jovem”. Afkari, muito popular no país, terá revelado que as suas confissões foram obtidas através de tortura.

0 0 votes
Avalia o Artigo
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os Comentários
0
Adoraríamos que Comentasses x
()
x
%d blogueiros gostam disto: